O Natal é um feriado pagão?

Share 'O Natal é um feriado pagão?' on Facebook Share 'O Natal é um feriado pagão?' on Twitter

Por Dr. Eli Lizorkin-Eyzenberg

Comecemos com uma cena ruim. Em nenhum lugar das Sagradas Escrituras somos informados sobre uma celebração que comemora o nascimento de Cristo Jesus. Nada nas Escrituras nos dá qualquer evidência segura sobre a data desse magnífico evento.

A falta de especificidade bíblica sobre os fatos que cercam o nascimento do Rei da Judéia contrasta fortemente com os detalhes disponíveis sobre sua morte (cada um dos quatro Evangelhos fornece o tempo exato da morte de Jesus).

No final do século II, o pai da Igreja grega, Orígenes, zombava das celebrações anuais dos aniversários romanos, descartando-as como práticas profundamente pagãs. Isso sugere que as comunidades cristãs ainda não celebravam o Natal durante a vida de Orígenes (c.165-264) . A primeira figura da igreja a discutir a data do nascimento de Jesus foi Clemente (c. 200), um pregador egípcio de Alexandria. Porém, 25 de dezembro nem sequer foi mencionado. Em meados do século IV, no entanto, descobrimos que as igrejas ocidentais já estavam celebrando o nascimento de Cristo em 25 de dezembro, enquanto as Igrejas Orientais o faziam em 7 de janeiro.

Como os primeiros cristãos chegaram a essa datação?

Surpreendentemente, a igreja primitiva seguia uma ideia muito judaica – que o início e o fim de importantes eventos redentores aconteciam frequentemente na mesma data (Talmude Babilônico, Rosh Hashaná 10b-11a). No início do terceiro século, Tertuliano relatou que uma vez que ele sabia exatamente quando Jesus morreu (14 de Nissan ou 25 de março), ele também sabia exatamente quando ele foi concebido! Ele provavelmente estava errado em suas conclusões, mas pelo menos agora podemos ver como eles chegaram à data do Natal.

A lógica era a seguinte: Se Jesus foi concebido em 25 de março, então contando os 9 meses de gravidez de Maria, colocaria o Seu nascimento em 25 de dezembro. Isso é especialmente intrigante porque 1º de janeiro costumava ser celebrado como o dia da circuncisão de Cristo (8 dias a partir da noite de 24 de dezembro).

É muito importante notar que não foi até entre os séculos IV e VI que os cristãos começaram a “cristianizar” as celebrações pagãs locais dos povos que procuravam evangelizar. Não há dúvida de que foi nessa época, mas não antes, que o Natal começou a adquirir algumas de suas tradições pagãs. Por quê? Porque até c. 300-320 dC, os cristãos travavam uma guerra contra-cultural com os pagãos do mundo romano e persa. Consequentemente, eles ainda não estavam dispostos a adaptações culturais.

Visto que o 25 de dezembro, como a suposta data do nascimento de Cristo, circulou entre 100-150 anos antes do início da prática de “cristianizar” as celebrações pagãs, não é razoável concluir que essa data foi adotada para agradar aos pagãos romanos, como sugere a teoria da conspiração popular.

É verdade que em 274 um imperador romano declarou 25 de dezembro como “O Dia do Sol Invicto”. No entanto, isso aconteceu cerca de 70 anos depois que os cristãos estabeleceram o dia 25 de dezembro como sua data de Natal. (Além disso, o próprio decreto pode ter sido emitido para ajudar a erradicar a celebração cristã recém-criada). Antes de responder à nossa pergunta principal, creio que devemos responder algumas perguntas relacionadas:

O Natal é um feriado bíblico? Não. Não foi ordenado por Deus na Bíblia.

A celebração do Natal contém elementos de origem pagã? Com certeza. Não há nenhuma dúvida sobre isso.

25 de dezembro é a data correta para a celebração do nascimento? Possível, mas altamente improvável.

E, finalmente, o Natal é um feriado pagão? Não há nada de pagão em especular que 25 de dezembro é o aniversário de Jesus.

Impreciso? Provavelmente. Pagão? Não.

Fonte: https://weekly.israelbiblecenter.com/christmas-pagan-holiday/